segunda-feira, 15 de abril de 2013

SEXO TÂNTRICO...

Atualmente, o tema ‘sexo tântrico’ atravessa as sociedades com maior facilidade e é cada vez mais divulgado, estudado e praticado… Apesar de ainda existirem algumas resistências quanto à sua prática, muitos parceiros têm desmistificado essa modalidade de sexo e revelado maior curiosidade em relação à sua própria sexualidade.
Mais do que uma técnica sexual intensificadora do prazer máximo, o orgasmo, o sexo tântrico une mais intimamente e amorosamente o casal, principalmente aquele mais afetado pelas relações sexuais demasiado superficiais ou até monótonas. O ‘tantra’ é um culto à mulher, à felicidade e à mais aprimorada e apaixonante arte de amar.
Através da prática tântrica, a relação sexual do casal sofre uma tremenda revolução. Os parceiros aprendem inclusive a comunicar mais intimamente e o ato sexual em si mesmo deixa de ser direcionado para o orgasmo, mas sim para uma experiência superior, física e espiritualmente mais saudável, procurando o outro em cada momento lento e minucioso.
O sexo tântrico permite um maior conhecimento do corpo do outro, da sua energia, da forma como interage em pleno.
Entenda...
Chegar ao ponto tântrico passa por retardar o momento do orgasmo. É, portanto, fundamental aumentar as carícias, os beijos, a prática de sexo oral e o fortalecimento muscular, de forma a que, suave e lentamente, se tire partido do prazer mútuo.
É necessária concentração e um grau de intimidade grande entre os parceiros para que as energias de um e de outro se completem. Ambos devem conhecer-se muito bem e a desinibição deve ser total para que todo o processo funcione. A prática tântrica abrange ainda técnicas respiratórias e a meditação.
É necessário tempo e disponibilidade, motivação e aprendizagem para adotar esta filosofia de vida. Pode-se recuar no tempo e consultar manuais de ioga, budismo e meditação. Os praticantes de sexo tântrico devem ainda ler livros dedicados ao tema. Estas crenças, práticas e hábitos metaforizam a continuidade e o desenvolvimento contínuo que alimentam a essência do ‘Tantra’. 
O sexo tântrico eleva a partilha de energias ao expoente máximo, os impulsos sexuais e os seus desejos mais íntimos ao extremo e ajuda a aprender e a dominar as reações do corpo a esses estímulos e desafios. Sem reprimir, exceto a ejaculação.
O homem Shakti e a mulher Shiva representam para o tantrismo essa união máxima de energia e sexualidade.
A concentração nos pontos ‘chakra’ é fundamental. É neles que reside o segredo do prazer duradouro. A mulher recebe o homem e regula o ato sexual, ajudando o seu parceiro. O homem, por sua vez, concentra-se, até o limite das suas forças, em dar-lhe todo o prazer sem ejacular. Os dois corpos são um só templo, formado pelos dois praticantes que são os seus deuses, em harmonia e perfeição.
Sendo a mulher a controladora da relação, ela deve estar por cima ou à frente do homem. Deve contrair os seus músculos genitais de modo a auxiliar o homem a reprimir a ejaculação. Desta forma, os orgasmos podem durar cerca de 15 minutos e podem multiplicar-se. Qualquer posição que possa cansar a mulher diminui irreversivelmente o tempo de prazer. Os manuais do sexo tântrico dizem que é possível atingir o orgasmo sem ejacular, ainda que os homens, majoritariamente, não acreditem que tal seja possível, pois associam sempre o seu maior prazer ao momento físico da ejaculação.
Concluindo, na prática do sexo tântrico tudo acontece devagar e de forma naturalmente relaxada. Todos os elementos externos que o casal reconheça como facilitadores podem ser utilizados, desde a decoração do quarto, a cama, a música, os aromas… Optar por produtos naturais que intensifiquem e perfumem a massagem tântrica é importante. Caso se procure um maior efeito do prazer em ambos os corpos, convém selecionar refeições leves e ricas em alimentos afrodisíacos.


  1. Uma semana deliciosa para todos...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails