quinta-feira, 15 de setembro de 2011

ORGASMO FEMININO...

O orgasmo é o clímax do ato sexual, não pode ser exigido nem forçado. A experiência orgásmica é o resultado de estímulos eróticos valorizados individualmente num nível necessário que desencadeie um orgasmo.

A anorgasmia é a dificuldade feminina de atingir o orgasmo. Pode ser primária (quando a mulher nunca teve orgasmo) ou secundária (se já teve orgasmo e não está conseguindo ter mais).

É muito difícil afirmar com precisão por que muitas mulheres não conseguem chegar ao orgasmo. Aspectos culturais, sociais e psicológicos são variáveis importantes que podem estar ligados a esse problema.

Uma pesquisa brasileira coordenada pela médica psiquiatra Carmita Abdo aponta que cerca de 30% das mulheres não conseguem chegar ao clímax do prazer sexual. Na maioria dos casos as causas são problemas psicológicos (em torno de 70%) decorrentes de dificuldades de se relacionar com o próprio corpo, violências sexuais vividas ou fatores culturais e religiosos (como pecado e culpa, por exemplo).

O tratamento indicado é através de terapia sexual, com sucesso em até 70% dos casos. Com duração específica para cada caso, a terapia foca exclusivamente na disfunção sexual. Pode ser individual, de casal ou de grupo. Associado com exercícios e fisioterapia (eletroestimulação vaginal), a terapia possibilita perceber como é indispensável se conhecer e ter prazer consigo mesma pela masturbação.

O acompanhamento psicológico acentua sentimentos de confiança e segurança do paciente e é fundamental para trabalhar os aspectos psicológicos. Funciona como apoio, auxiliando e permitindo que a paciente libere seus impulsos sexuais.

A descoberta do orgasmo é individual e cada mulher tem suas preferências. É necessário descobrir o melhor jeito para conseguir "chegar lá", seja por estimulação direta do clitóris (o parceiro pode penetrar e, ao mesmo tempo, estimular o clitóris, ou apenas fazer a estimulação do clitóris com as mãos ou através do sexo oral), água do chuveirinho ou uso de objetos eróticos (vibrador, por exemplo). Podem ser usados os vibradores clitorianos, vibradores de massagens corporais ou até os vibradores vaginais. A função dos vibradores é aumentar a excitação e estimular as fantasias. O uso está condicionando ao fato da aceitação individual ou do casal se sentir bem ao usá-lo.

Homens e mulheres se excitam por situações diferentes. Enquanto homens possuem desejo visual, as mulheres se estimulam mais facilmente através do tato e da audição. Mulheres também precisam de carinho e atenção para ter estímulo sexual. O homem geralmente se excita primeiro, pois a mulher necessita de preliminares para que ocorra a excitação.

A duração do orgasmo é variável (dura alguns segundos), o da mulher é pouco mais prolongado que o do homem, além disso, ela pode ter multiorgasmos e o homem não. É muito difícil o casal chegar ao orgasmo junto, portanto isso não deve fazer parte da meta do casal e sim que aprendam a se dar prazer mutuamente.

É importante que a mulher saiba se dar prazer e ensine seu parceiro como a tocar e o que fazer, explicando os movimentos e a pressão necessária. Tentar várias posições sexuais também ajuda.

A lubrificação vaginal pode ocorrer no início ou no meio da relação, algumas mulheres ficam mais lubrificadas que as outras. Caso a mulher não tenha a lubrificação necessária, o uso do gel lubrificante pode auxiliar na hora da penetração. Algumas mulheres tendem a ter lubrificação em excesso, o que pode diminuir o prazer e fazer com que o pênis deslize para fora da vagina. Nesse caso, uma camisinha sem lubrificante pode ser uma boa opção.

Não se preocupar com pensamentos "será que estou gorda?", "acho que estou demorando muito..." ou "será que ele está gostando?" é essencial para a mulher se concentrar no seu prazer e poder chegar ao clímax. Por isso, relaxar e deixar que as coisas aconteçam naturalmente é a melhor dica.

A saúde sexual da mulher faz parte da sua vivência, de suas experiências passadas, do seu aprendizado presente e do que deseja para o seu futuro, mas o importante é o quanto ela quer investir em si mesma e no conhecimento do próprio corpo.

Sua resposta sexual é diferente do seu parceiro e é importante que você se conheça, conheça o seu próprio corpo, como você gosta de ser estimulada sexualmente, e sutilmente vá demonstrando ao seu parceiro através de palavras, gemidos e sussurros ou pegando na mão dele e guiando da forma que mais te satisfaz. Se você tem um parceiro interessante e interessado, com certeza ele irá aprender junto com você a importância dessa intimidade emocional.
Bom dia queridos...essa matéria é ótima e de grande importância para todas as mulheres...leiam com carinho...Um dia perfeito para todos nós...bjs carinhosos...Mar...

3 comentários:

  1. Olá Mar
    Adorei o Post... e aumentou a credibilidade com a referencia da "Abdo" que já utilizei num trabalho meu!
    E sou português de Portugal!
    Fiquei curioso com uma coisa: tu dizes que o estimulo masculino por "excelência" é o visual e que nas mulheres é o auditivo e o tacto. Sabes, eu tenho essa percepção mas nunca encontrei nada que o afirmasse categoricamente! Aliaz, até já encontrei artigos cientificos que dizem que o estimulo visual na mulher é maior do que o que se julgava!
    Ops... esta conversa não é para aqui! eheheh
    amigocolorido1972@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. oi linda...engraçado que eu postei algo sobre orgasmo..que é bom pra varias coisas..rsss

    adorei sua postagem..

    bjocas

    ana casada

    ResponderExcluir

Compartilhe desejos...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails